Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Reorganiza

Reorganiza

O Banif foi vendido?

por Reorganiza, em 22.12.15

banif-reorganiza.jpe

 

Depois de tantos meses com más notícias (algumas delas terrivelmente irresponsáveis) e com incerteza assistimos a um desfecho que já era provável. O Santander ficou com o que interessa do Banif e o resto é assumido pelos contribuintes. Neste contexto, interessará perceber o que fazer à sua conta no Banif.

Quer ser cliente do Santander?

A primeira e única pergunta que tem de se colocar é se quer ou não ser cliente do Santander. O Santander é um banco espanhol, com a agressividade comercial que caracteriza os bancos espanhois. Esta agressividade é vista nas boas condições associadas aos seus créditos. O crédito habitação e o crédito pessoal do Santander são muito agressivos, pelo que pode fazer sentido manter-se no banco e esperar pelas possibilidades de negociação com o banco.

Para que precisa de um banco?

Depois de saber se quer ser cliente do Santander poderá fazer sentido fazer uma outra reflexão. Para que precisa do banco? Para ter lá as suas contas poupança (que na maioria dos casos são pior remuneradas do que os certificados de aforro)? Para as suas transações do dia-a-dia? Ou para outra coisa qualquer?

A tendência da banca vai-se manter

Depois do BPP, BPN, Novo Banco, Banif… a tendência de consolidação da banca irá manter-se. Ainda existem desafios no setor financeiro. Alguns bancos têm a necessidade de ser recapitalizados. Outros bancos irão ter de ter uma reconfiguração da sua estrutura acionista. E a grande maioria deverá ter de reduzir de forma expressiva a sua estrutura de custos. Ou seja, deveremos ter mais despedimentos e a redução do serviço prestado pelos gerentes de conta.

Os bancos vão-se voltar para os clientes com dinheiro

Infelizmente, parece-me que a tendência para os próximos anos no setor financeiro, quer seja o português quer o internacional, passará pela desintermediação. Ou seja, os bancos irão apostar nos clientes com elevado património e deixar os clientes de retalho (com património abaixo dos €50.000-€100.000, para ser simpático) para uma relação à distância. Sim, será mais difícil ter aconselhamento. Mas isso talvez não seja assim tão mau pois também não terá um comercial a tentar vender-lhe todo o tipo de produtos que apenas geram comissionamento para o banco.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D