Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Reorganiza

Reorganiza

Poupança das Famílias Continua a Cair

por Reorganiza, em 10.11.15

poupanca-das-familias.jpe

Nos últimos meses temos visto uma queda expressiva das taxas de poupança das famílias portuguesas. Não é difícil perceber os motivos, apesar de ser bastante preocupante e um indício de problemas para o futuro. Temos certamente os pés na terra. Sabemos as dificuldades que todas as famílias atravessam. No entanto, vemos dados contraditórios que nos devem levar a refletir. Por exemplo, a subida dos níveis de consumo das famílias portuguesas ou o aumento da concessão de crédito (talvez os dois andem de mãos dadas). E mais preocupante se torna numa altura em que se espera que um novo Governo possa querer incentivar ainda mais o consumo das famílias.

As famílias continuam a procurar a Renegociação de Créditos

A par destes desenvolvimentos, temos visto um aumento expressivo de famílias que recorrem aos serviços de renegociação de créditos da Reorganiza. Famílias cada vez mais informadas e conscientes do seu poder negocial que olham para todas as fontes de corte de custos para se adaptarem a um novo paradigma. Sim. Vamos ter dificuldades nos próximos tempos. A crise não desapareceu. Continuamos a ter de cortar custos e a ter de poupar, especialmente com os olhos postos no longo prazo. Não vamos ter reformas como esperávamos e temos de acautelar o futuro.

O que falta para poupar dinheiro?

O que falta para começar a poupar dinheiro? Falta dinheiro? Falta estratégia? Falta alguma moderação no otimismo e algum realismo para perceber que as melhorias nas condições de vida que nos prometem não irão aparecer por decreto. Continuemos a fazer a nossa parte e veremos os resultados dos nossos esforços. Mas criemos o hábito de contar apenas connosco e com a nossa poupança.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D